Equipa

António Aires

Nasceu no Paraíso, nos pés de S. Domingos, terra de mineiros e vive atualmente na Mina de S. Domingos, perto de Mértola, terra de outros mineiros que tiram da terra história. Colaborador regular no Centro de Agroecologia, é agora mineiro de outra estirpe, dos que cavam a terra pelo alimento, dos sentidos, da alma, de uma vontade destrambelhada que encontrou na sintropia uma mina prenhe de ligações que possam transformar o mineiro que tira ou destapa num simbiótico com a história e a natureza.

Ana Caetano

Licenciada em Educação Social, gosta do trabalho com pessoas e chegou a Mértola para descobrir mais sobre sustentabilidade e processos regenerativos. Faz parte da equipa da Associação Terra Sintrópica, colaborando na construção do caminho do Processo Regenerativo Em Curso (PREC), espaço especial de celebração e de construção de massa crítica sobre os sistemas agroalimentares e os seus impactos socioeconómicos.

António Coelho

Agricultor com 14 anos de experiência, na produção de plantas aromáticas, hortícolas e frutícolas. Co-criador do projeto, é responsável pela produção sintrópica no centro de Agroecologia de Mértola Horta da Malhadinha. Na sua prática utiliza técnicas de agricultura biológica, agricultura biointensiva, agricultura natural, biodinâmica e agricultura sintrópica. Acumula diversas formações técnicas na área e tem experiência como formador em diferentes cursos técnicos na área agrícola.

Dayana Andrade

Desde 2009, que se dedica ao estudo teórico, experimentação prática e difusão da Agricultura Sintrópica. Em Mértola, co-criou a Terra Sintrópica e desenvolveu e implementou o projeto premiado Hortas-Florestas, desenvolvido em 5 escolas do Concelho. No campo da comunicação, lançou o minidocumentário “Life in Syntropy” durante a CAP21 em Paris; criou e manteve o portal “Agenda Götsch” por 8 anos e trabalhou como consultora ambiental nas telenovelas “Velho Chico” e “Pantanal”. É coautora do livro “Vida em Sintropia – a Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch explicada”. Possui doutoramento em Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Eunice Neves

Licenciada em Arquitectura Paisagista, trabalhou em Portugal e Holanda com jardins privados, espaços públicos e planeamento urbano. Em 2009 conheceu o conceito de Permacultura e em 2015 embarcou numa viagem de investigação sobre projectos de permacultura pioneiros na Austrália e EUA. Voltou à Austrália de 2017 a 2021 para continuar a sua investigação e trabalhar lado a lado com alguns dos pioneiros do movimento. Em 2018 co-criou com a americana Sara Wuerstle o projecto de educação, investigação e design – GUILDA Permaculture. Atualmente, faz parte da equipa da Associação Terra Sintrópica enquanto coordenadora do projeto ‘Terra de Abrigo’.

Felipe Pasini

Dedica-se à Agricultura Sintrópica desde 2005. Até 2018 geriu as áreas experimentais no Centro de Aprendizagem no Rio de Janeiro, Brasil. Na Europa, ajudou o estabelecimento de experiências pioneiras de Agricultura Sintrópica no Mediterrâneo em Portugal e Espanha. Desde o Outono de 2021, é responsável pela promoção de uma transição sintrópica numa quinta no sul da Itália, na qual antigos olivais sofrem de desequilíbrio ecológico. Foi consultor ambiental nas telenovelas “Velho Chico” e “Pantanal”. É coautor do livro “Vida em Sintropia – a Agricultura Sintrópica de Ernst Götsch explicada”. É co-criador da Terra Sintrópica e possui mestrado em Ciências Ambientais pela UFRJ.

Inês Afonso

Licenciada em Línguas Aplicadas. Tem mais de 10 anos de experiência profissional na área administrativa e contabilística.
Veio de Lisboa para Mértola pois acredita no potencial do território e no poder regenerativo. Tem como áreas de interesse as línguas, gestão de projetos e pessoas, uma vez que, são peças fundamentais num sistema em construção. É colaboradora da Associação Terra Sintrópica onde executa a gestão financeira e administrativa.

Katharina Serafimova

Empreendedora, iniciadora e cocriadora de iniciativas transformacionais, conta com muitos anos de experiência no desenvolvimento de projetos locais e internacionais inovadores. Foi Head of Renewable Ressources numa empresa de consultoria suíça, Head Sustainability num banco privado suíço e consultora sénior de finanças sustentáveis para o WWF. Desde 2014 lecciona no Institute for Banking and Finance da Universidade de Zurique. Em 2017, co-criou a Terra Sintrópica. É membro fundadora do Regenerate Forum e faz parte da equipa de gestão do Shareitt, uma P2P-App para uma economia mais humana, ecológica e circular.

Laura Marques

Peregrina pelo corpo da Terra, com particular sensibilidade a cuidar na proximidade e em contextos de fronteira. Tecedeira de pertença, entre e unindo o desenvolvimento (e decrescimento) humano e a ecologia profunda, procurando a integração de quem somos como parte do Todo. Licenciada em Serviço Social pela Universidade de Coimbra, mestranda pela London Metropolitan University. Acompanhar pessoas nas suas variadas transições tem sido a sua paisagem familiar, como gestora de projetos de desenvolvimento humano e cooperação em diversos territórios. Mértola encontrou-a no entre-tanto. Colabora como técnica eco social, no projeto ‘Terra de Abrigo’.

Magda Silva

Aprendiz de Agricultura.
Veio do Norte do País para um dos locais mais desafiantes, mas, sem dúvida, mais inovadoramente regenerativos. T. S. em Ag. Biológica, em fase de conclusão de Licenciatura. Deseja aliar informação adquirida nos últimos anos aos profundos conhecimentos da Natureza, em partilha constante com o ecossistema humano da Ass. Terra Sintrópica, com o qual se identifica na essência. Os animais levaram-na até à Agricultura e esta a Ernst Götsch e à Agricultura Sintrópica e a Mértola. Estará aqui a dedicar o seu tempo e energia a práticas e processos holisticamente regenerativos. Colabora no Viveiro e nas Hortas Floresta.

Margarida Coelho

A vida fez dela uma verdadeira mulher de armas, trabalhou desde pequena em muitas áreas e em muitos locais diferentes, no meio rural ou na indústria, em Portugal e em Inglaterra e por isso traz consigo a sabedoria de muitas artes e ofícios.
Empreendedora e sem medo de inovar, é na cozinha do PREC que as suas mãos experientes fazem magia, transformando vegetais, leguminosas e cereais em verdadeiras experiências de sabor. Frequentou o Curso de Evolução Alimentar/Cozinha regenerativa e agora nutre a equipa diariamente com comida regenerativa e carinho.

Marta Cortegano

Innovation broker do desenvolvimento rural, migrou para Mértola com o sonho de juntar pessoas, ideias e entidades no desenvolvimento de estratégias coletivas e participadas, que procuram encontrar a abundância escondida em ambientes aparentemente escassos.
Engª Florestal, Mestre em Gestão e Conservação de Recursos Naturais e com o Curso Doutoral em Ciências da Sustentabilidade, participa em diversos grupos de trabalho nacionais e internacionais de inovação, agricultura, florestas e sustentabilidade. Co-criou a Associação Terra Sintrópica, no sentido de impulsionar a ideia de Mértola como um Laboratório do futuro para a Transição Agroecológica em territórios semiáridos.

Mª Cristina Moncayo R

Partilha desde a Colômbia a aprendizagem em processos comunitários e a formação académica como engenheira ambiental e o PhD em agroecologia. Mértola ensinou-lhe sobre a integração da agricultura e restauração agroecológica. Aprendizagem que se tornou um caminho esperançoso de desafios e cooperação, para repensar os sistemas agroalimentares locais, em torno de sistemas agroflorestais sucessórios, agricultura urbana e gestão comunitária da água a partir da ecologia política. Atualmente colabora com a Terra Sintrópica, integrando o viveiro agroflorestal com foco na restauração do território.

Nuno Roxo

Natural de Mértola, é um apaixonado pelo território onde sempre viveu. Desde há muito envolvido em projetos locais, incluindo associações juvenis, culturais e recreativas, é também co-criador da Terra Sintrópica desde o seu início. De conversa fácil, não perde uma oportunidade de contextualizar, a quem nos visita, toda a essência do território e da sua comunidade. 
A atividade de Guia Turístico serve para potenciar aquilo que temos de melhor no território, desde a história ao parque natural, da gastronomia às caminhadas, este é o seu território. A mais-valia para a Associação é a articulação entre a equipa e os seus diversos projetos; responsável pelo PREC, e pela coordenação do programa de voluntariado

Nuno Sequeira

Nascido e criado em Mértola, começou a trabalhar desde muito cedo, conciliando trabalho e canoagem, o que lhe permitiu viajar por muitos locais. Mas a paixão pela arte, o desenho, a fotografia e o vídeo falaram mais forte, regressou aos estudos e licenciou-se em Artes plásticas e Multimédia.
Videógrafo de profissão, co-fundou e abraçou este projeto colaborando regularmente com a Terra Sintrópica, documentando a história e evolução de todo o processo de transição agroecológica em curso e simplificando a narrativa científica, para uma linguagem acessível a qualquer língua: a alteração da paisagem e a regeneração do território e das pessoas, contada por imagens que nos emocionam e inspiram.

Pedro Nogueira

Arquiteto paisagista, decrescentista, e investigador da noção de paisagem enquanto dispositivo crítico. Uma matriz unindo percepção, materialidade e representação.
Do seu percurso profissional destaca-se a colaboração com o Centro Nacional de Cultura e a Fundação de Serralves, em projetos de divulgação e promoção de literacia científica.
Actuamente é colaborador da Associação Terra Sintrópica e coordenador do Centro de Agroecologia de Mértola, refletindo sobre a sustentabilidade do sistema agroalimentar como matriz da regeneração biofísica e socioeconómica dos territórios.

error: Content is protected !!